Categorias
História News

1999: Fim do ciclo Recer

A UCI procede a nova reforma e escalona as equipas em três divisões, cinco equipas nacionais acabam por ficar na segunda divisão e três na terceira. Na segunda divisão estão as formações do : LA. Aluminios – Pecol , Maia – Cin , Porta da Ravessa – Milaneza , Recer – Boavista e o Benfica – Winterthur, que regressa ao ciclismo, na era Vale de Azevedo, dando um novo impulso à modalidade. Na terceira divisão ficaram as equipas do Gresco-Tavira. Matesico-Abóboda e Paredes.

A equipa renova-se de forma pensada, pois grande parte dos ciclistas estavam já previamente acordados no ano anterior. Depois de um braço de ferro com a UCI, a equipa é inscrita como portuguesa, apesar de contar com mais ciclistas espanhóis ( 7) do que portugueses, participando novamente na Volta ao Luxemburgo e, por interesses comerciais da Recer, na Volta à Polónia.

Os resultados não são famosos, numa equipa de transição, com ciclistas muito jovens, mas com largo futuro. Na Volta a Portugal, Delmino Pereira no nono lugar é o melhor classificado, e a equipa no final de temporada perde algum vigor, quando a Recer anuncia, um pouco em cima da hora, a sua renúncia em continuar como patrocinador, alegando novas estratégias publicitárias. A equipa treme e o futuro é nebuloso.

Com a saída de Saulius Sarkauskas a equipa procura um novo sprinter, e a escolha caiu em Pedro Soeiro, ainda sem grande experiência e que se manteria no clube por largos anos.

Plantel da equipa:
Pedro ANDRADE
David BERNABÉU
Victoriano FERNÁNDEZ
César GARCÍA
Josep JUFRÉ
Marco MORAIS
Antonio NÚÑEZ
Gustavo OTERO
Delmino PEREIRA
Pedro SOEIRO
Rafael RUÍZ
Pedro SOEIRO
Carlos TEIXEIRA
Arturas TRUMPAUSKAS (ltu.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *