Categorias
História News

1989, o ano da afirmação

Esta época foi a afirmação da equipa no seu pleno. Pela primeira vez o Boavista encontra um sponsor disposto a alinhar desde o início de temporada. A Recer, empresa cerâmica de Oliveira do Bairro, tinha sido, nos anos anteriores, patrocinador da equipa do Sangalhos, que tinha na altura duas grandes secções: o ciclismo, seguindo a veia tradicional da região e o basquetebol.

Em 1989 os triunfos mais relevantes foram obtidos por Manuel Zeferino que venceu a clássica Matosinhos – Régua e o Grande Prémio Correio da Manhã, Delmino Pereira venceu o GP de Gondomar, a Volta a Vila Real e o Campeonato nacional de Fundo.
Na Volta a Portugal Delmino Pereira venceu o prólogo, no Marco de Canavezes e andou cerca de uma semana com a camisola amarela de leader , enquanto José Santiago repetia o triunfo no Prémio da Montanha.

Por seu turno, a Recer queria alargar horizontes e constituir uma equipa de maior prestígio, dado que os dirigentes bairradinos dedicavam mais atenção ao basquetebol, em detrimento do ciclismo e, num contacto com o engº Rui Abrantes, na altura administrador da Recer, ainda em 1988, o acordo tinha ficado selado, numa reunião em Santa Maria da Feira com José Santos. Quem tratou da assinatura do contrato, foi na altura o major Valentim Loureiro, o que constituiu a quase autonomia do departamento, com o Boavista a assumir apenas 35% das despesas da secção.

Delmino era um jovem transmontano, sem grande experiência de ciclismo, mas com uma força tremenda, e já não tinha passado despercebido a José Santos, os seus grandes atributos como um ciclista fora de série, bem patentes já em 1988, no ano da sua estreia no profissionalismo. E se Delmino era considerado a maior esperança do ciclismo nacional, melhor o confirmou, com uma série de vitórias, só ao alcance de grandes ciclistas. O título nacional, que era um dos grandes objetivos da equipa, desde a sua fundação, tinha sido finalmente conquistado. Faltava, agora a Volta a Portugal.

Em definitivo a equipa era considerada uma das melhores do pelotão nacional, em que competiam a Orima-Cantanhede, Atum Bom Petisco-Tavira, Garcia Joalheiro, Louletano-Vale do Lobo, Aqualine-Olhanense, Salgueiros – Landimar, Sangalhos-Grundfos, Ruquita-Feirense, Stand Custódio – Sambrazense, Sicasal- Torrense e a Vigor – Lousa. O pelotão nacional continuava a crescer, e um adversário de respeito aparecia com muitos meios : a Sicasal- Torrense, com quem o Boavista viria a travar, nos anos seguintes intensos duelos, que marcaram uma época de ouro do ciclismo nacional.

Dois nomes de grande historial no ciclismo nacional integraram a equipa nesse ano: o mecânico Guilherme Marques, quanto a nós o melhor mecânico de sempre no panorama nacional e o massagista Francisco Silva, dois lisboetas de gema. A equipa ganhava estrutura.

Plantel 1989:

António Alves – 01/10/1956
David Assunção – 18/02/1967
José Ferreira – 27/02/1964
Carlos Moreira – 13/08/1966
José Santiago – 05/06/1966
Luis Santos – 27/05/1966
Manuel Vilar – 24/04/1962
Manuel Zeferino – 23/07/1960
Delmino Pereira – 23/ 08 /1967

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *